segunda-feira, 30 de abril de 2012

Capítulo.35 (parte 2)

Capítulo.35
(parte 2)



Sorri tapei a boca para não parecer parva.
-O que é que achas?-perguntou a sorrir ainda a segurar no cartaz que já dias me tinha mostrado naquele mesmo sítio,que dizia:"Catarina queres ir comigo ao baile?"
-Já estás um bocado atrasado.-disse a gozar,ele sorriu.
-Então,já tens par?-perguntou,sorri.
-Tinha mas depois ele deu-me tampa e deixou-me sozinha no ginásio.-disse sendo irónica ele riu-se.
-Não lhe ligues,ele é um parvo.-disse ri-me.
-Nisso tens razão.-disse.-Mas tu já me tinhas pedido.-disse agora falando a sério,ele encolheu os ombros.
-Achei que devia fazer uma coisa melhor.-franzi o sobrolho,ele viu a minha reacção e tirou um frasco de vidro que estava a brilhar,aproximei-me para ver melhor o que era,e estavam lá dentro três pirilampos,virei o frasco e havia lá uma etiqueta que dizia:"amo-te" sorri e pousei o frasco na chão.
Olhei para ele,que me sorriu em troca.
-Amo-te.-repetiu, e sorriu.
-Amo-te.-disse também,aproximei-me e beijei-o.
-Muito.-acrescentei,ele sorriu.
-Também não exageres.-gozou e beijou-me.
Olhei para ele e sorri,baixei-me e destapei o frasco.
-Está na hora de serem libertados.-disse tirando a tampa.
-Demoraram horas a apanhar.-reclamou,ri-me.
-E lá se foi charme todo.-disse a gozar,vi os pirilampos a voar,e depois olhei para o Duarte.-É melhor irmos andando.-peguei no frasco e com a outra mão segurei a de Duarte.
-Queres mesmo ir,vai estar cheio de gente.-disse,ri-me.
-Não comprei este vestido para nada.-disse,ele olhou para mim.
-Nem tinha reparado,é giro,eu gosto.
-Ainda bem,porque não foi propriamente barato.-resmunguei,ele riu-se,entrámos no ginásio,que estava mesmo cheio de gente,agarrei com força no frasco para não o perder no meio de toda a confusão.-Procura alguém.-disse-lhe enquanto fazia o mesmo.-Já viste alguém?-ele abanou a cabeça,os meus pés começaram-me a doer.-Olha vou me só sentar,durante um bocado.
-Eu vou contigo.-disse demorou um bocado mas finalmente encontrámos uma mesa com duas cadeiras vazias,mesmo ao lado da mesa da comido,portanto ás vezes éramos um bocado atropelados por pessoas esfomeadas.Pus o frasco em cima da mesa,ele olhou para ele e sorriu.
-O que é?-perguntei.
-Vais andar com isso o resto da noite?-franzi o sobrolho.
-Claro que sim,não o quero perder.-disse,ele riu-se.Vi á minha frente uma rapariga com um vestido igual ao meu e ri-me,ela virou-se,e era a Rita,que me fez uns olhos de cobra,mas ao ver o meu vestido abriu a boca.
-Sua...-começou sem encontrar a palavra certa,arquei as sobrancelhas.
-Cabra?-tentei-a ajudar,revirei os olhos e peguei na mão do Duarte.-Cresce Rita.-respondi,ela abriu a boca ofendida,mas continuei a andar,o Duarte virou-se para mim e arqueou as sobrancelhas.-Deixa-te disso,ela ia começar logo com as coisas dela.-disse ele riu-se,a música agitada e alta para uma música calma,o Duarte sorriu.
-A menina dança?-perguntou-me a gozar,sorri.
-Porque não?-disse a sorrir,pus o frasco cuidadosamente ao lado dos meus pés,e pus as minhas mão nos seus ombros,ele pôs as suas á volta da minha cintura.De vez em quando olhava para o chão para ver se o frasco ainda estava lá,sempre que fazia isto o Duarte ria-se.Continuámos assim durante o resto da noite,até que de repente sinto um líquido gelado,a escorrer-me pela cabeça,virei-me furiosa e era a Rita,que me tinha atirado uma garrafa de água para cima,sentia o cabelo a começar a colar-se á minha cara.Ela sorriu,ninguém parecia estar a prestar atenção.
-Qual é a tua obsessão pela minha cabeça?!-exclamei,várias pessoas ficaram a olhar para nós,respirei fundo para não fazer nada que me arrependesse e saí calmamente do meio de toda a gente.Quando saí do ginásio vi o Duarte a vir atrás de mim.
-Esqueceste-te disto.-disse entregando-me o frasco,sorri e segurei nele firmemente,suspirei.
-Desculpa.-ele sorriu.
-Não tens de pedir desculpa,aquilo também estava ficar demasiado cheio.-segurou na minha mão.
-Não estás chateado?-ele sorriu.
-Claro que não,eu amo-te.

12 comentários: