domingo, 29 de julho de 2012

Capítulo.58

Capítulo.58



Fui-me sentar á beirinha da piscina ao lado do Duarte,enquanto via os outros na sala.
-Então,nem acredito que só falta uma semana uma semana para as aulas começarem.-comecei,ele que já sabia o que eu queria dizer revirou os olhos,ignorei-o e continuei.-Já pensaste bem como é que vai ser?Exames,teste,outras coisas,não vai haver praticamente tempo nenhum para nada.O que é tu achas?-perguntei,ele riu-se.
-Acho que tu vais começar com a mesma conversa  sobre a distância e isso.-disse abanado  cabeça,revirei os olhos isto de ter alguém que te conhece mesmo bem ás vezes pode ter as suas desvantagens.
-Bem...talvez...
-E eu acho que isso é uma estupidez.-disse sorrindo,franzi as sobrancelhas.
-Não é não!É só pensar no futuro,não tem nada de mal!-disse,ele riu-se,revirei os olhos chateada.-Sabes ainda demoro uma boa hora a chegar aqui de metr...
-Sabes vou mudar de escola.-disse interrompendo-me,eu não sabia disso mas também não percebi como é que isso poderia ter alguma coisa a haver com o que estávamos a falar.
-A sério?Porquê?-perguntei,ele encolheu os ombros e olhou para mim.
-Não tinha o que eu queria.-respondeu,continuava a não perceber.
-Como assim o que querias?-perguntei,mas nesse momento o Luís veio ao jardim chamar-nos para irmos lá para dentro,levantei-me mas tinha de continuar com aquela conversa noutra altura.Fomos para a sala,fui-me sentar ao lado da Ana e da Sofia,do outro lado do sofá a Teresa continuava a falar com o André,ri-me quando ela olhou para mim com os olhos arregalados.Passámos o resto da tarde ali a falar,quando já era um bocado para tarde eu e o André tivemos de ir embora,porque era-mos os que viviam mais longe dali.
-Então?-perguntei-lhe quando entrámos no metro,ele olhou para mim como se não percebesse do que eu estava a falar.
-Então o quê?-revirei os olhos impaciente,ele riu-se.
Não sei do que é que estás a falar.
-Sabes que se eu lhe perguntar ela vai-me contar tudo,mas era mais fácil se colaborasses,sabes?-disse picada,ele encolheu os ombros sorrindo.
-Talvez posso dizer que combinámos ir ao cinema amanhã,era isso que querias ouvir?-perguntou,sorri.
-Sim era exactamente isso.-disse,o metro parou e saímos de lá e descemos a rua até chegarmos ao nosso prédio.-Então deste-te bem com eles?
-Sim...olha sempre falaste com o  Duarte.-perguntou-me,encolhi os ombros.
-Sim,mas ainda temos de falar.-disse,o André não disse nada.-O que é?Não achas que tenho razão?
-Não,quer dizer,parece que queres mesmo que não corra bem,quer dizer acredita um bocadinho.-disse abrindo a porta do prédio,mordi o lábio.
-Achas?-perguntei revendo a conversa na minha cabeça.
-Sim,acho que se calhar não devias falar mais nisso,vais ver que vai correr tudo bem.-disse,percebi que ele tinha razão e não voltei a falar no assunto o Duarte até ficou surpreendido porque segundo o que me disse ele estava á espera que eu não o parasse de chatear com isso o resto da semana.O que nem foi muito difícil porque a semana passou muito depressa e não quis gastar tempo a pensar nisso.Portanto aproveitei a última semana de férias para passar mais tempo possível com o Duarte e os outros.



Primeiro dia de aulas:

Acordei,sabia que devia estar triste,quer dizer agora só podia ir ver o Duarte para aí uma vez por semana,pelo menos a Teresa,a Sofia e a Ana viviam perto de mim porque se não seria ainda pior.Mas não sei porquê até sentia-me feliz,afinal sempre ia ver a Joana a Carlota e a Margarida,isso ia ser bom,mas não sabia sentia,mesmo como o André me tinha dito,que:"Tudo vai correr bem.".
Sem pensar duas vezes levantei-me,fui tomar banho e vestir.Com uns cereais,peguei na minha mala e fui para o autocarro.
-O meu irmão tem cá uma sorte por não ter de ir para a escola tão cedo como eu.-resmunguei enquanto bocejava,infelizmente a escola do André era diferente da minha portanto tinha de ir no autocarro sozinha.Quando as portas do autocarro se abriram saí e ainda tive de andar um bocado até chegar á escola.Passei por uma paragem de autocarro,onde estava o Miguel.Aquela não era a estação de onde ele costumava sair portanto assumi que ele estava á espera da Inês,e fiquei feliz ao ver que isso me era agora indiferente.
-Olá.-cumprimentei quando passei por ele.
-Olá.-cumprimentou também surpreendido,porque na última vez que nos vimos não se pode dizer que eu tenha sido muito simpática.
Entrei no portão onde já não havia quase ninguém,Boa primeiro dia e já estás atrasada pensei apressando um bocadinho o passo,não podia chegar atrasada porque se não ia ficar num lugar porcaria na primeira fila.Subi as escadas até chegar á minha nova sala,abri a porta.
-Desculpe,posso entrar?-pedi,olhei para ver onde me podia ir sentar,e quando cheguei a uma mesa o meu coração quase que parou.

4 comentários:

  1. Está excelente!
    Mal posso esperar para ver o que vai acontecer :D
    adoro!
    Beijnho

    ResponderEliminar
  2. Eu já descofiava :DDD Ohnnnnnn está perfeitoooo *--*

    ResponderEliminar