sábado, 14 de julho de 2012

Capítulo.56

Capítulo.56

um-novomundo:

Tantos elogios, tantas palavras, tantos sentimentos estragados por poucas atitudes. (u-nm)

-Duarte...-comecei,mas ele sorriu e abanou a cabeça.
-Não vale a pena.
-Mas eu preciso de falar contigo!-exclamei,ele franziu o sobrolho mas assentiu.
-Ok.
-Olha,eu amo-te,tu saber disso,mas é só que achas mesmo que vamos conseguir continuar a estar como estávamos no acampamento?-perguntei,tirei a carta do bolso.-E depois apareceu o André,e não sei...
-E gostas dele.-conclui-o ele,olhei para ele sem saber se isso era verdade.-Ou não?-perguntou-me,engoli em seco,sabia que tinha de responder naquele momento,era como se o meu cérebro se tivesse desligado e agora só podia confiar no que o meu estúpido coração ia dizer.
-Não.-disse,e fiquei aliviada ao dizer aquilo,porque era verdade e agora podia vê-lo,não sentia nada pelo André,pelo menos que se comparasse ao que sentia pelo Duarte,sentia-me estúpida por não ter visto antes.
-Mas ainda não tens a certeza sobre nós não é?-perguntou-me,outra pergunta que já tinha andado a pensar há algum tempo.
-Sim...quer dizer não!-exclamei.-Não desse modo,só quero dizer se não sei se vamos continuar como continuávamos no acampamento,mas é só isso.-disse rapidamente,o Duarte sorriu.
-Bem é óbvio que não vai ser fácil,mas podemos sempre tentar,não achas?-perguntou sorrindo,sorri também deitando a carta para o chão enquanto o beijava.
O meu telemóvel começou a tocar,ignorei-o aos primeiros toques e acabou por desligaram,mas depois tocou,revirei os olhos e afastei-me do Duarte para atender.
-Estou?-perguntei irritada.
-A Sofia já não se vai casar!-exclamou a Teresa rapidamente,franzi o sobrolho.
-Porquê?-perguntei,o Duarte percebeu o que a Teresa tinha dito e aproximou-se do telemóvel tentando ouvir a conversa.
-Os meus pais disseram-lhe que se ela se casasse teria sair de casa,e claro que ela decidiu que se calhar era melhor não.
-Mas e o Francisco?-perguntei sentindo pena por eles.
-Ele não aceitou muito bem,mas o que poderia fazer não é?-disse Teresa falando muito depressa,ainda devia estar no hospital.
-Como assim não aceitou muito bem?-perguntei.
-Catarina tu viste o anel deve ter custado imenso,e sinceramente ele vai viver para outro país,de certeza que vão acabar por separar-se.-disse,fiz um meio sorriso triste,a Sofia estava mesmo feliz.
-É melhor ir falar com ela,xau.
-Boa sorte,ela está insuportável,xau.-e desliguei,olhei para o Duarte.
-Tenho de ir.
-Não não tens,tens mesmo de parar de tentar resolver os problemas das outras pessoas.-disse,franzi  a testa.
-Mas ela precisa de ajuda,tenho mesmo de ir ter co...-mas ele calou-me dando-me um beijo,se calhar tinha razão,já chegava de tentar resolver as coisas do outros,eu já tinha problemas que chegassem.

Desculpem estar pequeno mas amanhã publico outro,obrigada pela vossa paciência :)

4 comentários:

  1. 1º - AMO a tua fic!!
    e 2º - Acho que devias fazer a outra mini-historia se continuares esta, claro.
    Beijinhos :D
    P.S - Podes divulgar o meu blog no teu sff?? Obrigada :) http://odiaadiadeumaraparigaadolescente.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. uau ainda bem que gostas! :D bem eu vou fazer uma mini história ao mesmo tempo que vou fazer a nova história :)
    ;claro :) beijinhos

    ResponderEliminar