quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Capítulo.13

Capítulo.13

Eram oito da manhã,e já lá estava eu com a Teresa e a Rita,o ambiente estava de cortar á faca.Elas não se falavam,até nem comigo Teresa estava a falar.Quando vinha alguém,eu tentava sorrir,mas elas nem se davam ao trabalho.
-Eram umas pipocas.-pediu um rapazinho,a Teresa,ela foi buscar um pacote,parecia um zombie a andar,ele pagou e foi-se logo embora..
-Oh meu Deus anima-te!Estás a afungentar as pessoas,pensa que podia ser pior.
-Asério?Estamos,aqui,ás oito da manhã com estas fardas ridículas,e com ela-bichanou apontando para Rita.-Se ela disser alguma coisa,eu juro que me vou a ela.-ri.me,teria uma certa piada.
-Lembra-te porque é que nós estamos a fazer isto.-lembrei-a tentando alegrá-la.
-Sim,um baile,para o qual nem tenho par.-reclamou revirando os olhos.-Isto é estúpido!Tu vais com o Duarte,a Ana vai com o Luís,só eu é que não tenho par!
-Não sei se vou com o Duarte,ele ainda não falou comigo sobre isso.
-Não sejas tonta,aquele tipo adora-te,acredita,ele já te vai pedir.-encolhi os ombros.
-Tenho a certeza que vais encontrar alguém,prometo.-assegurei,ela fez um sorriso triste.
-Espero bem que sim.-veio uma rapariga com a sua mãe,a Teresa ia atende-las ,mas eu fui primeiro.
-Não quero que as assustes com essas trombas todas.-fui atendê-las,quando acabei o Duarte veio ter comigo.
-Então como está a correr?-encolhi os ombros.
-Se elas fizessem alguma coisa,se calhar ajudava.-ele riu-se.
-Queres ir dar uma volta?-olhei para elas,já tinha feito imensa coisa,agora merecia uma pausa.
-Pode ser.-tirei o meu avental e saí dali.
-Aonde queres ir primeiro?-perguntou,olhei á minha volta.
-Pode ser aquele.-apontei para uma barraquinha,em que se acertássemos num cesto,três vezes,podíamos escolher um brinde á escolha.
-Vamos lá ver se consigo acertar.-tentou três vezes e não conseguiu pagou outras três vezes,mas continuou  a não conseguir,eu estava-me a rir imenso.
-Não vale a pena.
-Tu vais ter aquele peluche.-ele não conseguiu,mas acabou simplesmente por comprar o peluche.Dei-lhe um beijo.
-Pelo esforço.-ele sorriu.
-Devia tentar mais vezes-sorri,enquanto estávamos a dar uma volta,pareceu-me ouvir alguém a chamar-me,mas como não tinha a certeza,não liguei.
-Catarina!!-chamaram-me outra vez,virei-me e vi o Miguel com o braço por cima dos ombro da Inês.
-Fica aqui,eu já venho.-o Duarte fez o que eu lhe disse e ficou á minha espera.Fui ter com eles,nem sei bem por quê.
-Olá,á quanto tempo?-cumprimentou o Miguel.
-Pois foi,a última vez que te vi acabas-te comigo,porque me estavas a trair com a Inês,que bons tempos!-disse sendo irónica.-Oh olá Inês,então vocês ainda andam?
-Sim,mas como é que tu tens andado?-perguntou desviando a conversa.
-Eu estou óptima,tens falado com as meninas?-perguntei,já sabendo o que ela ía responder.
-Nem por isso,deixámo-nos de falar.
-Eu sei,elas disseram-me que não queriam continuar a dar-se com uma cabra falsa,pelo menos  têem-se a vocês.
-Sim isso chega.-disse o Miguel,já percebendo o que eu estava a fazer.-Não precisamos de mais ninguém.-eu fiz um sorriso falso.
-Aproveitem,enquanto dura.-o Miguel fez-me uns olhos de cobra.
-Tu nunca mudas.-disse ele.
-Ainda bem!-exclamei.-Bem eu tenho de ir andando.-sorri e fui-me embora,se calhar tinha sido mázinha,mas naquele momento a única coisa que me interessava,era passar o resto da minha pausa com o Duarte.
-Quem eram?-encolhi os ombros.
-Ninguém.-olhei para ele,apercebi-me que já não sentia mesmo nada pelo Miguel.-Adoro-te,sabias?-ele sorriu a abraçou-me.
-Eu também,sabias?
-Sim,tu não me resites.-gozei ele riu-se.
-É melhor voltar-mos.-ele foi pôr-me á minha barraquinha e depois foi para a dele,voltei a pôr o meu avental.
-Como correu?-perguntou Teresa,mostrei-lhe o meu novo peluche.
-Pode-se dizer que correu muito bem.-sorri,ela revirou s olhos.
-As pessoas apaixonadas são tão chatas.-ri-me,finalmente estava feliz.Olhei para a minha esquerda,e ali estava o Duarte,ele acenou-me,eu retribuí.
-Acho que vou vomitar!-reclamou Rita,revirando os olhos,nem o seu humor,ou até a sua presença,podia afectar o que eu estava a sentir.-Como é que podes estar tão feliz,sabendo o que estragas-te?-revirei os olhos.
-Não te estiques Rita.-avisei-a.
-Tu só estás a namorar com ele,para não acabares como a Teresa.-picou-me ela a sorrir,por sorte Teresa não estava a ouvir.
-Rita...-avisei-a.
-Nem tem par para o baile.,que triste.-picou ainda mais ela,isto estava a começar a ser demais.-Estou só a dizer.-peguei na minha garrafa de água a atirei-lhe o que restava para o uniforme.
-Eu avisei-te.-virei-me ouvi-a a pegar em algo,vi o Duarte a virar-se e a gritar alguma coisa.Senti alguma coisa gelada a escorrer pela cabeça,meti a mão na cabeça,era gelado,ainda meio congelado,mas a começar a escorrer,pela minha cabeça abaixo,parecia que estava a ter um congelamento cerebral.E afinal não foi a Teresa que se atirou a ela,mas sim eu.

Eu sei que não está grande coisa,mas espero que gostem!
Já agora vou divulgar um blog que eu sigo:
http://www.evokinhaslol.blogspot.com/
visitem! bjks

5 comentários:

  1. Adorei fofa, continua assim, está fantástica!
    Bjokinhas*

    ResponderEliminar
  2. Amo ♥
    Continua :D
    http://da-cristina.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. Ahahaha as respostas e as indirectas que ela mandou ao Miguel e há Inês foram um máximo :D

    ResponderEliminar